Publicado em 16/09/2011 - 10:50

Marianense Pedro Aleixo é reconhecido como ex-presidente do Brasil



 

Nascido em 1901 no subdistrito marianense de Bandeirantes, o jornalista, político e jurista Pedro Aleixo está tendo o devido e justo resgate do seu papel enquanto figura ímpar na política brasileira. A presidenta Dilma Rousseff reconheceu o cidadão da cidade de Mariana como ex-presidente da República com direito a inscrição nas galerias da História, depois de um conturbado período em que o político teve o cargo surrupiado pela Junta Militar, em 1969. É a segunda vez que o Congresso dá a condição de presidente da República a quem não pôde exercer o cargo, como aconteceu anos atrás com Tancredo Neves, eleito mas não empossado por motivo de doença.O vereador Juliano Duarte (PPS) parabeniza a presidenta pela colocação do honorável cidadão na galeria dos ex-presidentes, devido a sua importância histórica na conjuntura política do Brasil. “Enquanto cidadão da nossa terra é de suma importância valorizar esse tipo de político que, durante o regime militar, ousou lutar pelo retorno ao estado democrático de direito, isto é, pela restauração da normalidade institucional no Brasil.”, disse o vereador.Pedro Aleixo teve um importante papel, pois se posicionou contra o Ato Institucional 5 (AI-5), que suspendia várias garantias constitucionais, além do combate à violência instaurada pela tortura. Exercendo o cargo de vice-presidente, Pedro Aleixo foi impedido de assumir a Presidência do país em 1969, pelo regime militar vigente. Com o afastamento de Costa e Silva por motivo de doença, os ministros militares não permitiram que o vice-presidente Pedro Aleixo tomasse posse. Dessa forma, o Ato Institucional 16 (AI-16) foi editado em outubro de 1969, considerando extinto o seu mandato. “Apesar de tardia, a nomeação é válida, pois dá grande visibilidade à cidade de Mariana em sua tradicional conjuntura política”, completou o vereador Juliano.