Publicado em 17/12/2010 - 9:49

Fuga ocorrida na Cadeia poderia ter sido evitada através do “Olho vivo”



O projeto Olho Vivo, implantado em Mariana consiste no monitoramento por câmeras de vídeo em pontos estratégicos e sempre com o objetivo de diminuir o índice de ocorrência de delitos e aumentar a segurança da população. Os pontos de instalação das câmeras foram realizados nas áreas com maior índice de criminalidade em cada uma das regiões escolhidas. A iniciativa da instalação do sistema foi de todo município no governo de Celso Cota juntamente com o Coronel Faria Lopes, que era secretário municipal de segurança pública na época. Todo o recurso que foi empregado nesse projeto foram recursos municipais, sem convênios com nenhum tipo de governo.

Segundo o Coronel Janeiro, que hoje ocupa o cargo de secretário municipal de segurança pública, o Olho Vivo cobre alguns Bairros da cidade. “Temos essas câmeras instaladas em alguns pontos estratégicos, como na estação de tratamento de água e esgoto, justamente para evitar o roubo de bombas ou até mesmo o risco de poluição”.

“O monitoramento do sistema é 24h, e esse sistema é de grande valia para toda a população. Aqui conseguimos identificar vários tipos de infrações que passariam impunes se não fosse o Olho Vivo” diz Janeiro. Ainda segundo o secretário, o olho vivo auxiliou na identificação do roubo do Corujão. “Já ajudamos a reconhecer vários indivíduos, como no arrombamento do corujão, tudo foi filmado, e diante disto, passamos a filmagem para a Polícia Civil, os autores foram identificados e os materiais recuperados” ressalta Janeiro.

Nossa Redação questionou Janeiro o ocorrido no último dia 19 de novembro, referente à fuga da Cadeia de Mariana onde nossa equipe teve informações que havia no momento da fuga um carro da Polícia Militar que passava no momento exato da fuga “Tudo foi filmado, e imediatamente entramos em contato com a Polícia Militar e os mesmos informaram que não tinha viaturas disponíveis no momento. Nós vimos o ocorrido no ato e fizemos nosso papel de informar a PM” explica Janeiro. Nas filmagens aparece no momento exato da fuga uma viatura da Polícia Militar que fazia o patrulhamento no local e não percebeu o fato ocorrido.

De acordo com o técnico, Max Bonifácio, responsável pelo funcionamento e manutenção, o sistema contém 32 câmeras. “Além do centro comercial, esse sistema cobre alguns bairros, como Cabanas, Barro Preto, Rosário, São Pedro, Passagem de Mariana e ainda cobre mais algumas regiões como a da Policlínica, Recriavida, Rodoviária e Estação Ferroviária além de todas as Secretarias Públicas do Município.” Ainda de acordo com Max, todas as escolas públicas têm de duas a quatro câmeras para monitoramento interno, e além delas, todos os órgãos públicos contêm o sistema de alarme, incluindo Patrimônios Históricos como as Igrejas.