Publicado em 21/10/2010 - 16:34

Época de chuva requer alerta com doenças infecciosas



Apesar de umidificar o ar e trazer alívio para quem mora em cidades e zonas rurais que passam por longos períodos de seca, o período de chuvas também têm as suas desvantagens e pode até ser catastrófico em algumas regiões. Com ela, problemas relacionados a enchentes, desabamentos, acidentes de trânsito e doenças infecciosas típicas desta época aparecem em grande escala.

Para se proteger ou tentar minimizar os estragos que uma tempestade pode trazer, siga as dicas de Ana Vitória, chefe do Departamento Epidemiologia, em entrevista para o jornal Ponto Final:

Jornal Ponto Final: Quais os cuidados básicos que todos nós devemos tomar para evitar a contaminação de doenças como dengue e leishmaniose?

Ana Vitória: De início, no período chuvoso o cuidado tem que ser redobrado, pois é neste período que se prolifera com mais facilidade a maioria das bactérias. Em nossa região, em relação à zoonose, nos temos a dengue e a leishmaniose, que são duas doenças veiculadas pelo vetor mosquito, o Aedes Aegypti no caso da Dengue e a Leishmaniose, o mosquito Palha. E esses mosquitos nessa época de chuva se proliferam muito rápido. O ideal para eles, no caso do mosquito da dengue como todos já sabem, é água parada e no caso do mosquito da leishmaniose se reproduz diferente, em locais úmidos e também precisam de matéria orgânica em decomposição.

JPF: Como se contamina e qual é o risco da leptospirose?

AV: Temos doenças que chamamos de veiculação hídrica, ou seja, são doenças que vamos contrair, através de água contaminada, alimentos contaminados. Assim entra a leptospirose. Temos que ficar mais alerta, pois é uma doença que é contraída através de uma bactéria que se encontra na urina de ratos, lixo contaminado, resto de matérias orgânicas, fezes de animais. Pode ser contraída através da chuva pela enxurrada ou enchente, e quando em contato com a pele humana, a bactéria penetra na pele e assim compromete os órgãos como os rins e fígados, o que pode ser fatal.

JPF: Hepatites A e E, cólera, febre tifóide também podem ser contraídas por água contaminada?

AV: A hepatite A e E, cólera e a febre tifóide são tipos de doenças vem veiculadas por vírus, parasitas, bactérias cada qual com a sua doença e acometendo o homem, por isso temos que ter cuidado com a água que consumimos. Ter a certeza de que a água é potável e tratada, e se não, fazer o possível para usar o hipoclorito na base de 2,5%,que equivale a 2 gotas em um litro de água ou até mesmo a água sanitária, sempre esperando 30 minutos antes do consumo e na dúvida sempre ferver a água. Sempre evitar que crianças brinquem com água de chuvas, enxurrada, lama, pois pode estar acarreando este tipo de bactéria.

Ainda em entrevista ao Jornal Ponto Final, Ana Vitória citou mais doenças causadas nesse período e que requer cuidados. “E nesta época de chuva, as doenças de diarréia, que são também veiculadas por alimentos contaminados sempre atingem as crianças, e isto pode levar a desidratação que é sua complicação principal, perdendo excessivamente líquido pelo organismo e a mesma pode levar a graves complicações por entrar no quadro de desidratação rapidamente.

As bactérias são muito nocivas a saúde humana por isso existem muitos outros cuidados que não devemos deixar de tomar em diversos tipos de situação, como a atenção nos medicamentos, que quando guardados em casa, caso tenham sido afetados pela chuva. Sempre ao ir a uma farmácia, observe a embalagem à venda, verificando sua integridade e se há indícios de umidade ou manchas, e se caso houver, avisar o farmacêutico e também a vigilância sanitária e nunca adquirir nenhum produto fora de sua embalagem original”.

Ana ainda alerta sobre algumas doenças respiratórias que também é mais comum nesta época. “Gripes e pneumonias, são duas das doenças respiratórias comuns nessa época. Isto acontece devido ao fato do aglomerado de pessoas, ou por manterem suas residências fechadas nesse período, ficam concentrados em um local só, sem qualquer ventilação. Então deixar as janelas sempre abertas, e quando a chuva cessar, abrir e deixar o sol entrar, pois o sol é um excelente bactericida, destroem ácaros, microorganismos que também causam doenças respiratórias. “Qualquer sintoma de alguma virose, procure imediatamente o posto se saúde. Por causa do aglomerado de pessoas, choveu, todo mundo fecha as janelas, ficam concentrados em um local só, sem qualquer ventilação. Então deixar as janelas sempre abertas, se a chuva cessar, abrir e deixar o sol entrar, pois o sol é um excelente bactericida, destroem ácaros, microorganismos que também causam doenças respiratórias.”

Importante

Trânsito

Quando se está dirigindo na chuva, as chances de se sofrer um acidente são muito maiores. Para evitar que eles ocorram é importante dirigir com cuidado redobrado, principalmente nos primeiros minutos de chuva, em que, devido ao óleo e a terra que costumam se acumular na pista, uma pasta escorregadia se forma no asfalto.

Dirigir mais devagar e não ficar muito próximo do carro da frente também é essencial, pois além de o asfalto estar com uma aderência menor, a visibilidade fica pior e o tempo em que um veículo consegue frear fica muito maior. Por isso, sempre que puder, evite sair de carro quando o tempo está ruim.

Deslizamentos

Para prevenir deslizamentos, quem vivem em encostas ou morros podem seguir alguns conselhos. É importante que a vegetação presente nas encostas não seja destruída. Isso porque as raízes profundas de algumas plantas impedem que a água leve consigo a terra dos morros.

Além disso, não deixar lixo acumulado ajuda a facilitar o escoamento, pois ele entope as saídas de água, desestabiliza os terrenos e dificulta a passagem das águas. A proteção das barreiras em morros por drenagem de calhas e canaletas também é importante.